Pura Inspiração!!!

13 de janeiro de 2009

LIBRAS - AULA 1

Olá gurias, como vcs sabem eu sou Professora e amo a minha profissão sinto a grande importância que há nela e o Senhor tem nos mostrado isso, vcs já perceberam que todos os chamados exigem uma certa aptidão para ensinar, ouvir, compreender enfim aptidões para o ensino? sem falar na facilidade de aprender e ensinar e vc nem precisa ser professora para isso bem mas todo esse papo é pq depois que me formei tive um grande interesse pelo ensino especial para surdos e só agora acordei e comecei a estudar realmente e também só agora percebi o quanto isso é importante na igreja....quantas pessoas surdas tem na sua unidade? ou na estaca? provavelmente não tenha muitas talvez nenhuma e sabem por que? Como elas fariam? Quantos irmãos ou irmãs sabem libras? ou estão preparadas para trabalhar com essas pessoas em sala de aula não só surdas, hiperativas, cadeirantes, sindrome de down, retardamento, mal de parkinson etc.....a Sociedade de Socorro tem a responsabilidade de sacudir a unidade começando pelas irmãs para que estas percebam nessa necessidade de nos adequar....e creio que a Presidência precisa colocar isso nas mãos da Lider de Solidariedade e de Aprimoramento para que possam juntas se movimentar fazendo um projeto sobre esse ponto tão importante vou postar aqui no blog vários vídeo aulas de libras já postei uma atividade sobre hiperatividade então o resto é com vcs!!! bjocassss
O QUE É LIBRAS?
A língua brasileira de sinais (LIBRAS) é a língua de sinaisPB (língua gestualPE) usada pela maioria dos surdos brasileiros e reconhecida pela Lei[1][2]. É derivada tanto de uma língua de sinais autóctone quanto da língua gestual francesa; por isso, é semelhante a outras línguas de sinais da Europa e da América. A LIBRAS não é a simples gestualização da língua portuguesa, e sim uma língua à parte. Na verdade, em Portugual usa-se uma língua de sinais diferente, a língua gestual portuguesa (LGP).
Assim como as diversas línguas existentes, ela é composta por níveis lingüísticos como:
fonologia, morfologia, sintaxe e semântica. Da mesma forma que nas línguas oral-auditivas existem palavras, nas línguas de sinais também existem itens lexicais, que recebem o nome de sinais. A única diferença é sua modalidade viso-espacial. Sendo assim, para se comunicar em LIBRAS não basta apenas conhecer os sinais; é necessário conhecer a sua gramática para combinar as frases, estabelecendo comunicação. Os sinais surgem da combinação de configurações de mão, movimentos, e de pontos de articulação — locais no espaço ou no corpo onde os sinais são feitos. Assim, constituem um sistema lingüístico de transmissão de idéias e fatos, oriundos de comunidades de pessoas surdas do Brasil. Como qualquer língua, também existem diferenças regionais, portanto deve-se ter atenção as variações praticadas em cada unidade da Federação.
Referências:

Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002 — Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências.
Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005 — Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000.
Fonte: Wikipédia

video

Fonte: Youtube

0 comentários:

Visite o site oficial da Igreja